04/11/2020

Castro & Vidigal

Precisamos cuidar da nossa saúde o ano todo, mas o mês de novembro traz um alerta mundial: o combate ao câncer de próstata. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), um em cada nove homens receberá o diagnóstico de câncer de próstata ao longo de sua vida. São estimados mais de 65 mil casos para 2020, número que assusta e posiciona esse tipo de câncer como o segundo de maior incidência entre os homens, perdendo apenas para o de pele não-melanoma.

Como alguns outros tipos de câncer, pode ter uma evolução silenciosa e assintomática, por isso é tão importante a detecção precoce, com melhor chance de tratamento. Alguns sinais característicos, como vontade frequente de urinar, dificuldade de urinar ou diminuição do jato de urina, desconforto ou presença de sangue na urina ou no sêmen podem aparecer apenas em estágios avançados da doença. Mas como prevenir? A boa notícia é que com apenas dois exames é possível verificar a presença do tumor. E a má notícia é que (ainda) há muito preconceito em torno de um desses exames, de toque retal.

Apesar de alguns homens terem enorme resistência em realizar o exame, ele é rápido e indolor, feito sempre com a proteção de uma luva lubrificada, e permite ao médico palpar a próstata, glândula que fica em frente ao reto, e perceber se há nódulos ou tecidos endurecidos, que podem indicar um estágio inicial da doença. O toque retal, acompanhado da dosagem de PSA (Antígeno Específico Prostático) que é realizada por um exame de sangue simples, na maior parte dos casos é suficiente para a detecção de um possível tumor.

Mesmo com a ausência de sinais, homens a partir de 50 anos devem realizar o rastreamento para câncer de próstata. Aqueles que possuem histórico da doença na família, assim como negros e obesos, devem ficar atentos a partir dos 45 anos. Com um pedido médico, é possível realizar os exames anualmente tanto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) como pelos planos de saúde, e o mesmo vale para o tratamento dessa neoplasia. 

Como o que está em jogo é a nossa saúde, o melhor a se fazer é encontrar formas de desenraizar esse tabu. Que as campanhas de conscientização, assim como os médicos, amigos e familiares, abordem mais esse tema, mostrando que é um exame como todos os outros, capaz de salvar vidas. Nesse sentido, a informação é a única aliada para eliminar de vez esse prejulgamento da nossa cultura. O machismo, o preconceito e a falta de conhecimento podem custar uma vida! 

 

 

*Com experiência de mais de 20 anos no mercado de seguros, a Castro & Vidigal oferece suporte intensivo aos clientes, apoiando e direcionando às melhores soluções em seguros. Com sede em São Paulo, a corretora se dedica à construção de uma relação de parceria e confiança com os segurados, para entregar um serviço de alta qualidade e satisfação.

 

Saiba mais acessando as nossas redes sociais: Instagram, Facebook e LinkedIn.