03/12/2020

Castro & Vidigal

Dias ensolarados são um convite para os passeios ao ar livre. As tardes de verão são mais longas e, para muitos, trazem uma motivação extra para atividades físicas ou encontros com amigos. Mas como fica essa rotina com a pandemia? Se a correria do dia a dia às vezes já nos impedia de sair do escritório, o medo e a insegurança em relação ao Covid-19 tiraram muitas pessoas da rua e, consequentemente, do sol.

Uma grave consequência da falta de sol, seja devido ao corre-corre de grandes metrópoles ou a uma pandemia como a que estamos vivendo, é a carência de vitamina D, importante aliada à absorção de cálcio e fósforo pelo nosso organismo, vital para a saúde dos ossos. O mais irônico, no entanto, é que o sol nunca foi tão essencial para todos nós.  

Estudos recentes afirmam que a vitamina D pode nos proteger contra o coronavírus, possivelmente pelo seu alto poder anti-inflamatório. Apesar de ainda serem estudos preliminares que não podem ser generalizados, a ciência já comprovou o fundamental papel desta vitamina para a regulação do nosso sistema imunológico, conhecido como o nosso sistema de defesa, seja para enfrentarmos o Covid-19 ou para nos protegermos de outros vírus.

Apesar de estar em alguns alimentos como salmão, óleo de bacalhau, gema de ovo, atum e fígado, a sua principal fonte vem da exposição ao sol, quando os raios ultravioletas ativam a sua produção. Mas cuidado! O mês em que celebramos o Dezembro Laranja reforça os malefícios de uma exposição demasiada ao sol, que também é um dos principais causadores do câncer de pele.

Como encontrar o equilíbrio?


Sol até 10h e após 16h, por pelo menos 20 minutos, três vezes por semana: esta é a receita para aproveitarmos o que o sol traz de melhor, sem corrermos o risco de prejudicar a nossa pele. O segredo é aproveitar o verão com responsabilidade, lembrando também de outras regrinhas como usar filtro solar mesmo nos dias nublados (proteger também os lábios e não esquecer de repassar a cada duas ou três horas, hein!), manter uma alimentação equilibrada, fazer exercícios físicos, usar chapéu ou boné, beber pelo menos dois litros de água por dia e manter a pele hidratada.

Nas crianças, a deficiência da vitamina D pode prejudicar o crescimento, causar raquitismo e até deformações ósseas. Já para os adultos, pode levar à osteoporose, osteomalacia (fraqueza nos ossos) e ao aumento da ocorrência de infecções, além de estar associada ao maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e câncer. Em ambos os casos, a suplementação pode ser indicada, além do nosso bom e velho sol, que é de graça e, dentro do horário saudável, só traz benefícios para o nosso corpo. 


*Com experiência de mais de 20 anos no mercado de seguros, a Castro & Vidigal oferece suporte intensivo aos clientes, apoiando e direcionando às melhores soluções em seguros. Com sede em São Paulo, a corretora se dedica à construção de uma relação de parceria e confiança com os segurados, para entregar um serviço de alta qualidade e satisfação.


Saiba mais acessando as nossas redes sociais: Instagram, Facebook e LinkedIn.