18/11/2020

Castro & Vidigal

Como você está hoje? Quando nos fazem essa pergunta, normalmente respondemos sobre o bem-estar físico. Mas você tem pensado também se os seus sentimentos, pensamentos e emoções estão saudáveis e em harmonia? Na avalanche de notícias trazidas pelo surto do Covid-19, o aumento de problemas relacionados à saúde mental está entre as mais comentadas.

 

Em tempos de pandemia, é importante ficarmos ainda mais atentos às emoções e sentimentos próprios e daqueles que estão à nossa volta, sejam familiares, amigos ou colegas de trabalho. Isso porque ainda não sabemos os impactos que o isolamento social e a intensificação do trabalho remoto têm em nossas vidas. Está cada vez mais difícil encontrar uma pessoa que não teve momentos de medo e angústia, mas até que ponto isso é normal?     

 

Em parceria com consultores de seguros e cientes das dificuldades de adaptação tanto para aqueles que estão retornando ao trabalho quanto para os que continuam em home office, organizações dos mais variados setores estão dedicando esforços a programas preventivos e de promoção da saúde mental, com o objetivo de apoiar os seus colaboradores e incentivá-los a procurar ajuda, sempre que sentirem necessidade. Outras ações com foco na qualidade de vida ou mesmo na implementação de um canal aberto, com diálogos constantes e interação entre os profissionais da empresa, podem contribuir para aliviar a pressão do dia a dia e evitar que esses colaboradores se isolem e alimentem uma dor silenciosa. 

 

Em casa, a regra é a mesma. É cada vez mais imprescindível abordarmos esse tema, para que mais pessoas deem atenção a possíveis sinais e busquem ajuda. Quanto mais falarmos, menor será o preconceito e medo de enfrentar qualquer questão psicológica, que muitas vezes é vista erradamente como uma fraqueza. Nunca é tarde para aprender e ensinar a cuidar da nossa saúde mental, ou para entender que transtornos mentais são doenças sérias como quaisquer outras. Afinal de contas, as nossas mentes e corpos são ferramentas igualmente vitais para o nosso funcionamento.

 

Quando procurar um médico?

Em linhas gerais, sempre que não estamos conseguindo lidar com um sentimento, seja ansiedade, medo, culpa, angústia, desesperança, entre outros sinais que podem se transformar em gatilhos para síndromes do pânico, depressão, crises de ansiedade e fobias. Mas calma! Se você se sente ansioso, entenda que todos nós temos momentos de ansiedade. O Brasil, aliás, tem o maior índice de ansiedade da América Latina, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O importante é identificar se esse estado emocional tem atrapalhado a nossa vida, seja a rotina, o sono, os relacionamentos, o trabalho ou mesmo a concentração e produtividade. E este não é um sinal restritos aos adultos; crianças e idosos também vêm sendo fortemente afetados pelas mudanças de rotina.

 

Ligados às nossas obrigações e na correria diária, reservamos cada vez menos tempo para cuidar de nós mesmos, e muitas vezes não acreditamos na seriedade dos transtornos mentais. Além disso, sempre fomos ensinados a persistir, permanecer fortes, mas respirar fundo e desacelerar em meio ao caos para ouvir o nosso corpo é fundamental. Quando não desaceleramos, automaticamente estamos prejudicando a nossa saúde mental.

 

Ao sentir que precisa de ajuda, o mais importante é entender que nós não estamos sozinhos. Um em cada 10 brasileiros sofre com algum tipo de transtorno de ansiedade, uma das maiores proporções do mundo, e 5,8% da população têm depressão. Para casos mais graves, existem hospitais psiquiátricos especializados ou mesmo o pronto-socorro de hospitais gerais está apto a receber pacientes que muitas vezes colocam a vida em risco. Alguns transtornos mentais podem inclusive ter uma extensão física e por vezes são confundidos com infarto, AVC ou uma infecção, exigindo exames e uma avaliação médica para identificar o real problema. 

 

Hoje, a ansiedade é a 3ª causa de perícias médicas no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), enquanto a depressão é a primeira. Quanto antes tratarmos sentimentos e emoções em desarmonia, mas rápido nos livramos deles. E como tratar? Muitos não sabem, mas é possível recorrer aos planos de saúde para esse tratamento, já que está prevista pela Agência Nacional de Saúde (ANS) a cobertura de 12 a 40 sessões por ano de psicoterapia, dependendo do tipo de plano, mediante solicitação médica com a Classificação Estatística Internacional de Doenças (CID). O apoio familiar, de amigos ou mesmo da empresa em que trabalha, aliado ao tratamento com um psicólogo, é capaz de eliminar transtornos que muitas vezes nos paralisam.

 

Os consultores de seguros da Castro & Vidigal estão sempre disponíveis para acolher e auxiliar clientes e parceiros sobre os procedimentos para o tratamento de qualquer adoecimento emocional. Assim como a saúde física, a saúde mental é essencial para a qualidade de vida de qualquer um de nós. 

 

*Com experiência de mais de 20 anos no mercado de seguros, a Castro & Vidigal oferece suporte intensivo aos clientes, apoiando e direcionando às melhores soluções em seguros. Com sede em São Paulo, a corretora se dedica à construção de uma relação de parceria e confiança com os segurados, para entregar um serviço de alta qualidade e satisfação.

 

Saiba mais acessando as nossas redes sociais: Instagram, Facebook e LinkedIn.